Provas testemunhais são anuladas pela Justiça do Trabalho após vídeo no TikTok

Cuidado com as redes sociais. Após testemunhas fazerem “dancinha” na rede social “Tiktok” para comemorar suposta vitória no processo, juiz desconsiderou as provas apresentadas por duas testemunhas em favor da autora da reclamação.

A trabalhadora ajuizou ação pedindo o reconhecimento de vínculo empregatício de período anterior ao que consta na carteira de trabalho; dano moral pela omissão do registro; dano moral por tratamento humilhante em ambiente de trabalho; entre outros.

O juízo de 1° grau considerou a postagem desrespeitosa, além de provar que as três tinham relação de amizade íntima.

Por isso, os depoimentos foram anulados. Em sentença, concluiu-se também que a profissional e as testemunhas utilizaram de forma indevida o processo e a Justiça do Trabalho, tratando a instituição como pano de fundo para postagens inadequadas e publicação de dancinha em rede social.

As testemunhas foram, então, condenadas por litigância de má-fé e ao pagamento de uma multa de 2% sobre o valor atribuído à causa para cada uma, em favor da empresa.

A reclamante recorreu, mas a 8ª Turma do Tribunal do Trabalho da 2ª Região manteve a condenação, considerando ter se tratado de uma atitude: ” jocosa e desnecessária contra a empresa e, ainda, contra a própria Justiça do Trabalho”.

Fonte: TRT 2 região